Para as empresas, backup e recuperação baseados em nuvem se tornaram soluções comuns e eficazes para atender às exigências do mercado nos dias de hoje. Mas será que elas sabem o valor de uma solução de DRaaS?

Avaliam – se questões como: o backup é rápido o suficiente para caber dentro de uma janela de backup? O tempo de recuperação foi adequado para manter a integridade dos dados da empresa (RTO)? Os níveis de serviço atenderam ao objetivo de ponto de recuperação (RPO)?

Depois disso, fica complicado! Segurança e recuperação são componentes críticos de Disaster Recovery (DR), mas por si só não podem garantir que o processamento de aplicações continue sem interrupção.

Muitas empresas têm construído seus planos de Disaster Recovery em torno de locais remotos por já possuírem datacenters ou por obterem orçamentos para hotsites secundários.

No entanto, a menos que contem com datacenters extras – ou possuem budget para alugar um hotsite secundário – empresas de pequenos e médios portes estavam sem opções para garantir a continuidade dos negócios sem uma solução de Disaster Recovery remoto.

Em resposta, muitos provedores de serviços em nuvem e fornecedores de recuperação de desastres passaram a oferecer o modelo de backup e recuperação baseados em nuvem. Uma das grandes vantagens de failover baseado em nuvem é que mesmo pequenas e médias empresas podem agora ter recursos para adotar este modelo.

Se analisarmos as vantagens, este modelo torna-se consideravelmente mais barato do que a construção ou locação de datacenters secundários. Chamamos isso de recuperação de desastres oferta como um serviço, ou DRaaS.

BaaS, RaaS ou DRaaS? Entenda o que é cada um destes serviços!

Os três tipos de serviços mais conhecidos de proteção de dados baseada em nuvem (DP) incluem backup como um serviço (BaaS), a recuperação como um serviço (RAAS) e recuperação de desastres como um serviço (DRaaS). De forma geral podemos entender como:

  • BaaS: backup baseado em nuvem para o prestador de serviços. O fornecedor é responsável pelo backup de dados e níveis de serviço de recuperação. Após o desastre, ele recria o ambiente de servidor, instala aplicativos, em seguida, restaura os dados a partir da nuvem;
  • Recuperação as a Service (RAAS): vai um passo além BaaS restaurando aplicações, bem como os dados a partir da nuvem. Ele normalmente trabalha por hospedar imagens de servidores e backup de dados de produção no datacenter do host. Mediante um pedido de recuperação, o provedor transfere imagens e dados para o site do cliente;
  • Recuperação de Desastres como Serviço (DRaaS): acrescenta failover baseado em nuvem para serviços de backup e recuperação. Failover pode ser automatizado ou manual, e pode ser baseada na nuvem pública ou nuvem privada. DRaaS inclui serviços de backup e recuperação e adiciona a capacidade de transformar-se em um hot site na nuvem. O serviço é mais extenso do que RaaS e vale a pena se você tiver aplicações críticas que devem ser 100% disponíveis.

Mas por que escolher o modelo DRaaS para sua empresa?

  • Recuperação rápida – Se ocorrer um desastre, cada segundo que o seu sistema está em baixa significa que você está perdendo dinheiro. Uma solução de DRaaS é a melhor opção para permitir que você restaure as operações normais em minutos, em vez de horas ou até dias.
  • Controle de custos – Construir e manter um site remoto é caro e complexo. A solução DRaaS elimina a necessidade de gerir o seu próprio site DR, reduz o CAPEX (despesa de capital) e fornece custos previsíveis de OPEX (custos operacionais) com modelos de preços de repartição.
  • Flexibilidade – Em vez da rigidez tradicional da DR, o DRaaS permite que você ative recursos virtuais fora do local sob demanda. E você pode escolher entre uma variedade de escopos de recuperação, dependendo da natureza e gravidade do desastre.
  • Simplicidade – Os avanços de novas tecnologias permitem que você implemente rápida e simplesmente o DRaaS e gerencie backup e recuperação muito mais facilmente.
  • Segurança e conformidade – As melhores soluções DRaaS garantem que os dados sejam criptografados em trânsito e em repouso. Eles também permitem que as equipes internas de TI mantenham o controle de residência de dados. Algumas soluções da indústria exigem testes de failover periodicamente. Uma solução DRaaS com capacidades de teste automatizadas pode reduzir consideravelmente as despesas necessárias para executar esses testes.

A InovTI pode ajudar!

Além de disponibilizar uma operação 24×7, a InovTI oferece mecanismos e processos confiáveis e simplificados que são executados de acordo com políticas definidas para realização do disaster recovery em Site-Backup do cliente ou Datacenter TierIII da InovTI com todo o ambiente rodando em Cloud Privado.

A indisponibilidade de seu Datacenter (contratado de terceiros ou próprio) pode prejudicar as operações de uma companhia em escala global. Para garantir um plano de Disaster Recovery eficiente, usamos ferramentas de gestão integrada que permitem o monitoramento, testes e recuperação no tempo que seu negócio precisa.

Você pode conferir mais sobre os benefícios de contar com o DRaaS da InovTI em nosso website.

Deixe seu comentário ou sua opinião sobre qual modelo é melhor para sua empresa!