loader image

6 segredos de estratégias bem-sucedidas que priorizam a nuvem!

25 abr 2022 | Sem categoria

Qualquer mudança no ambiente de TI de uma empresa demanda atenção especial e, com todos os avanços tecnológicos dos últimos anos, não há como ficar de fora dessa transformação digital. Mas, para que tudo ocorra bem, o processo de transição precisa se basear em estratégias que priorizam a nuvem.

Há empresas que optam por migrar os aplicativos e seus bancos de informações sem que eles sejam reformulados. Na chamada de abordagem lift and shift, decidem por um enfoque em que os programas passam por adaptações. Já na chamada de cloud-first, são totalmente desenvolvidos para a nuvem.

Apesar da primeira abordagem acontecer de forma mais acelerada — as adaptações podem demandar muito tempo —, nem sempre ela será a melhor solução.

Levando em consideração que há inúmeros aspectos que você deve observar quando decide mudar todo o ambiente de TI de uma empresa, conhecer os segredos de um processo bem-sucedido pode eliminar uma série de percalços.

Quer saber quais são eles e como se preparar para uma transição tranquila? Confira abaixo.

1. Promova a mudança da cultura organizacional

 

Para que uma grande mudança aconteça, a mentalidade corporativa precisa ser trabalhada para não se tornar um obstáculo.

Se a sua empresa já tem uma estratégia bem definida que prioriza a nuvem e está convicta de que migrar para esse ambiente é altamente recomendável, terá que demonstrar esse valor para todos da corporação.

Dessa forma, o processo deve ser o reflexo de uma mudança no modelo de negócios, com foco em trazer mais agilidade por meio da automação, de um ambiente inovador e que seja capaz de ganhar novos mercados em tempo recorde. Sendo assim, a alta administração precisa manter-se completamente envolvida.

2. Desenvolva um CoE

 

Criar um centro de excelência em nuvem (CoE — Cloud Center of Excellence) é mais uma das estratégias que priorizam a nuvem. O objetivo é o desenvolvimento de uma estrutura que tem como função valorizar o que está funcionando bem e resolver o que não está de acordo.

Ou seja, entre as atribuições do CoE estão o desenvolvimento de projetos, definição de política de nuvem, ajuda na escolha dos provedores de serviços ou assistência e na disposição da carga de trabalho.

Esse centro de excelência exerce o papel de consultor para todos os envolvidos, sejam eles usuários dos serviços em nuvem, o time de TI central, sejam de uma unidade de negócios específica.

3. Escolha princípios compatíveis com a nuvem

 

Quando você migrar o sistema para um modelo que utiliza o cloud computing, deve ter em mente que o desenvolvimento de aplicativos precisa seguir os princípios nativos da nuvem de destino para evitar problemas futuros.

Tenha em mente que para construir, alocar e administrar tudo na nuvem, os desenvolvedores precisam de um conhecimento diferente do que se fossem realizar a tarefa em um data center próprio.

A equipe de TI precisa estar pronta para desenvolver uma arquitetura moderna e estar constantemente preparada para novas tecnologias. Quanto melhor definidos forem os princípios, mais eficazes serão as estratégias que priorizam a nuvem.

 4. Seja realista quanto ao plano de implantação

 

Quanto mais realista e minucioso for o programa de implantação, menores as chances de algo dar errado. Implantar um sistema de nuvem pode ser tentador, até porque, parece que todo mundo está fazendo isso, não é mesmo? Mas, para dar esse passo é preciso muito planejamento.

Esse é o caminho natural e, mais cedo ou mais tarde, terá que acontecer para que você consiga manter a competitividade. Mas, que fique claro, será necessário alinhar suas expectativas sobre o processo de execução e sua viabilidade para não gerar frustração ou, o que é pior, desperdício de recursos.

Faça um plano de longo prazo e mudanças fracionadas, escolhendo uma plataforma por vez e certificando-se de que a equipe de TI desenvolveu as habilidades necessárias para aquele projeto.

Dificilmente você conseguirá transformar seu time em especialista em cloud computing da noite para o dia.

5. Defina sua estrutura de custos

 

Apesar de representar uma boa economia nos processos de gestão de TI, a computação em nuvem também precisa de um plano de custos bem definido.

Afinal, serão necessários investimentos iniciais para implantação, custos de contratação do serviço de hospedagem e treinamento da equipe.

A fim de manter as despesas sob controle e obter retorno sobre o investimento após a implantação, a empresa pode se basear na sazonalidade para determinar um custo fixo que seja flexível.

Pode parecer contraditório, mas, ao contrário dos data centers próprios, dá para basear o sistema na carga de trabalho média e aumentar, quando necessário, reduzindo quando a demanda cair.

Se você usar a mesma lógica de dimensionamento que para um data center convencional — que se baseia nos picos de demanda — terá uma despesa muito maior desnecessariamente. Portanto, construir um modelo de custo inicial é uma das estratégias que priorizam a nuvem essencial.

6. Não descuide da segurança

 

Como parte das estratégias que priorizam a nuvem, a segurança deve ser prioridade no processo de migração, seja ele total, seja parcial.

Os crimes cibernéticos estão cada vez mais sofisticados e as ameaças às informações e recursos de TI baseados em data centers externos são ainda mais contundentes.

A implantação de uma Cloud Security Posture Management (CSPM) —  em uma tradução livre: Gerenciamento de Postura de Segurança na Nuvem — proporciona agilidade na identificação e correção de riscos, pois automatiza essas ações.

Ela pode e deve envolver todas as plataformas e softwares alocados no sistema externo. Quando uma empresa decide migrar suas plataformas, precisa entender que uma abordagem de segurança focada na nuvem é fundamental.

Isso não é só para evitar ações criminosas, mas para garantir a correta identificação, autorização e autenticação de quem usa os sistemas e a proteção das informações e das redes, por meio da criptografia.

Um bom conjunto de estratégias que priorizam a nuvem ajuda a viabilizar uma migração suave, com poucos percalços e boa aceitação por todos os segmentos da empresa.

Dessa forma, a corporação toda se beneficia com um sistema mais ágil, maior competitividade e crescimento.

Se a sua empresa está planejando migrar para o ambiente digital, aproveite para conferir esse artigo de como driblar os obstáculos da nuvem híbrida.