loader image

Cloud no setor de energia. Saiba as previsões para os próximos anos.

7 set 2022 | Cloud, Soluções

Quando o assunto é o setor de energia, todo investimento em tecnologia é bem vindo e isso acontece porque, através dela é possível otimizar custos, uma vez que esse mercado utiliza de altos recursos financeiros para se manter estável. Levando em consideração o investimento, a utilização do cloud computing é recomendada, a qual cumpre os requisitos acima e ainda pode impulsionar a cibersegurança. Já que este mercado detém de grandes operações que monitoram e controlam processos relativos ao óleo e gás, embora a utilização da nuvem tenha simplificado e trazido grandes insights através dos dados, também se tornaram processos vulneráveis para ataques cibernéticos. Com isso, os investimentos para garantir uma solução segura estão acelerados e devem ser o futuro para o setor, assim como a utilização de tecnologias revolucionárias, sendo elas a inteligência artificial, IoT (internet of things), 5G e muito mais.

Se você quer ir mais a fundo para saber o que esperar para os próximos anos no setor de energia com a utilização da tecnologia de cloud computing, não deixe de conferir esse conteúdo na íntegra!

VISÃO GERAL DO MERCADO DE ENERGIA E NUVEM

De acordo com a Mordor Intelligence, a nuvem no setor de energia cria uma solução através de servidores remotos, bem como tecnologia baseada na web para gerenciar dados e a cibersegurança. Essas tecnologias são o presente e futuro nas indústrias, serviços, varejo e também para o setor de energia. Lembrando que, à medida que o tempo passa, cada vez mais, se faz necessário a utilização dessas soluções inovadoras e inteligentes através da nuvem.

Ainda segundo a Mordor Intelligence, espera-se que o mercado de segurança em nuvem no setor de energia registre um CAGR (Compound Annual Growth Rate) de 11,2% durante o período de previsão (2021 – 2026). O aumento na adoção de IoT na cadeia de suprimentos impulsionará o mercado no período de previsão, bem como a utilização do 5G que promete revolucionar através da análise de dados massivos.

Portanto, a utilização da nuvem associada à inovação, será estratégico para geração, distribuição e melhora do consumo de energia e economia. Com isso, o cloud deve ser protegido contra ataques cibernéticos.

PREVISÕES PARA OS PRÓXIMOS ANOS DO MERCADO

A transformação deste setor a nível global, está acelerado e deve andar de mãos dadas com a inovação. No entanto, como dito anteriormente, o mercado será pautado na utilização de novas tecnologias baseadas em nuvem, na segurança contra ataques ciberterroristas e sustentabilidade.

À medida que as empresas a nível global migram para a nuvem – por se tratar de uma tecnologia altamente poderosa pro setor de energia – também aumentam as tecnologias utilizadas.

QUAIS SÃO OS TIPOS DE TECNOLOGIAS BASEADAS EM NUVEM PARA O SETOR DE ENERGIA NOS PRÓXIMOS ANOS?

Você já deve ter escutado falar de Inteligência Artificial, Internet das Coisas (IoT), 5G e Cibersegurança, certo? Agora, o que todas essas soluções tecnológicas têm em relação ao cloud computing e o setor de energia?

Basicamente, todas elas são baseadas em nuvem, ou seja, elas precisam do cloud computing para serem base do processo de transformação digital e processarem os dados. Sendo, sem dúvida nenhuma, soluções que trazem melhorias expressivas de experiência e lideranças para as empresas que as utilizam. Sendo então, possível administrar dados massivos, tirando o melhor proveito da eficiência energética e promovendo o alcance das metas! Com a crescente adoção do cloud computing, também se faz mais uso do IoT e automação. Sendo importantes aliados às cadeias de valor do setor energético, os quais lidam com dados extremamente complexos e interconectados a nível mundial.

Segundo a Mordor Intelligence, a crescente adoção da computação em nuvem também está ajudando o crescimento do mercado, levando ao surgimento de grandes data centers em nuvem em hiperescala. De acordo com a Cisco, a nuvem Azure da Microsoft é neutra em carbono, e metade da energia que ela usa já vem de 1,2 gigawatts de fontes eólica, solar e hidrelétrica, que a empresa esperava produzir 60% até 2020 e 100% em algum momento no futuro.

Por tanto, ao falar de inovação tecnológica e o setor de energia, podemos concluir que existe muito a explorar e certamente, é o caminho mais assertivo para o setor, que com a ajuda do cloud computing, automação e cibersegurança, prometem revolucionar o cenário atual e inclusive ajudar na sustentabilidade mundial.

Se gostou deste conteúdo, deixe-nos saber! Comente aqui em baixo ⤵️