loader image

A segurança física está migrando para a nuvem! Saiba por que!

10 nov 2022 | News, Proteção de Dados

Empresas de segurança, estão migrando os seus servidores físicos para a Nuvem!

Isso está acontecendo porque o alojamento em cloud computing, está trazendo benefícios para as empresas, como: redução de custos, automação, ganho produtividade, aprimoramento da proteção das pessoas e dos dados – através da cibersegurança e ampliando eficiência. Através da nuvem, equipamentos e sistemas de segurança de alta tecnologia ficam ligados 24h por dia, 7 dias por semana!

Segundo uma pesquisa realizada pela Genetec, cada vez mais entidades privadas e públicas estão recorrendo à nuvem.

Para entender mais sobre essa tendência, confira o artigo na íntegra!

Para Adriano Salomão, diretor de Engenharia da Genetec na América Latina e Caribe “Enquanto muitos departamentos de segurança física estavam hesitantes em levar em consideração soluções conectadas na nuvem no passado, agora, eles têm um maior entendimento dos benefícios que essas soluções trazem e de como elas podem ajudar as companhias a utilizarem melhores recursos para alcançar objetivos de negócios, enquanto minimizam a complexidade operacional no geral”.

QUAIS SÃO OS BENEFÍCIOS EM MIGRAR O DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA FÍSICA PARA A NUVEM?

Ter um departamento de segurança inteiro funcionando através do cloud computing permitirá que todos os envolvidos tenham acesso em escala 24×7. Com isso as organizações poderão ampliar as gamas de produtos e soluções, através de estruturas on-premises, utilizando então a mais alta tecnologia e modernização de infra estrutura existente hoje no mercado.

Outro cenário muito interessante – e também altamente assertivo -, é a possibilidade de migrar para nuvem híbrida, que segundo Salomão, trata-se de uma solução que permite manter servidores on-premises das tecnologias existentes e adotar dispositivos adicionais de segurança de acordo com suas necessidades. Ele ainda ressalta que “De uma perspectiva front-end, nada muda para o operador, que pode administrar todos os componentes, independentemente se são baseados na nuvem ou hospedados in loco”.

Foi realizada pela Genetec, uma pesquisa com mais de 2.000 profissionais do departamento de segurança física ao redor do mundo. E foi através dela que constataram que 45% das grandes empresas já adotaram soluções híbridas ou na nuvem, o que representa um crescimento significativo.

A nuvem híbrida, veio para revolucionar o mercado, pois ela combina o melhor dos serviços de infraestrutura local com uma nuvem privada, pública ou ambas. O objetivo é criar um ambiente de computação unificado, automatizado e bem gerenciado. Uma vantagem fundamental é o alto grau de controle que ela oferece, proporcionando maior flexibilidade, autonomia e segurança para a sua área de TI.

O QUE PODE SER ARMAZENADO NA NUVEM PARA ESSE SETOR?

Para empresas de segurança, as possibilidades são infinitas, no entanto, vamos listar as principais utilizadas, confira:

  • Armazenar Dados históricos do financeiro
  • Ter o controle total do administrativo da empresa
  • Acesso 24h às imagens captadas pelas câmeras de segurança.

Para aprofundar mais sobre a segurança dos dados e proteção das informações, o consultor Marcelo Okuma, escreveu para a direcional condomínios um pouco sobre a segurança do material arquivado em cloud computing. Segundo Marcelo, “Em geral, digitalizar documentos e armazenar na “nuvem” tem um benefício prático de facilitar o acesso dos gestores e, em alguns casos, dos condôminos para consultar a qualquer hora e lugar. Mas manter a versão física dependerá dos requisitos legais conforme a legislação (federal, estadual e municipal). Por exemplo, o registro dos trabalhadores deve ser guardado por vários anos, mesmo após o desligamento do funcionário.” Ainda segundo ele, “é Importante destacar que ter uma cópia digital armazenada na nuvem, em geral, é mais seguro do que só ter o documento físico guardado sujeito à umidade, com acesso inseguro, problemas com manipulação ou mesmo subtração de documentos”.

QUAIS AS SOLUÇÕES QUE PODEM AGREGAR AOS SERVIÇOS

Como dito anteriormente, a segurança física pode ser muito prática quando aplicada na nuvem. Agora, para exemplificar, vamos dar o exemplo da Segurança Física de prédios residenciais. Conheça agora algumas das vantagens em agregar a nuvem como alternativa para soluções dinâmicas e responsivas:

  1. Permite o envio de convites personalizados com QRcode
  2. Traz economia para condomínio
  3. Gestão dos acessos à distância

    COMO FUNCIONA A CIBERSEGURANÇA PARA OS DEPARTAMENTOS DE SEGURANÇA FÍSICA?

A segurança em nuvem é altamente assertiva, muitas vezes até mais eficiente que a física. Isso acontece devido a diversidades de camadas e soluções que o cloud computing permite trabalhar quando se tem dados online.

A maioria dos provedores em nuvem, sendo público, privado, multicloud ou híbrido, todos possuem medidas de cibersegurança altamente rigorosas para suas infraestruturas. Lembrando que para garantir a integridade das informações é importante seguir os princípios básicos das políticas de segurança, sendo eles: confidencialidade, integridade e disponibilidade. Para entender mais profundamente sobre isso, recomendamos que confira o artigo disponível no blog “5 dicas básicas para proteção de dados do seu projeto”.

Além disso, quando se trata de cloud computing, devemos reforçar que é fundamental o desenvolvimento das seguintes camadas de cibersegurança: Políticas de Segurança, Medidas de Governança, Backups e criptografia dos dados.

QUAIS SÃO AS IMPLEMENTAÇÕES MAIS ADOTADAS RECENTEMENTE

  1. Segunda a pesquisa da Genetec as empresas incluem um on premise Video Management System (VMS) juntamente de uma extensão de armazenamento na nuvem para suportar, por exemplo, vídeos que serão mantidos por mais tempo, reduzidos a uma definição menor.
  2. As companhias com pegada geográfica global e operações distribuídas, optam por arquiteturas com infraestrutura de nuvem para atender às demandas por gestão de vídeo e aplicações de armazenamento, serviços e componentes conforme necessário. Nesse caso, rodaram uma implementação de VMS maior nas suas sedes, que seriam majoritariamente on premises, com menores, remotos locais federados ao local principal.
  3. Outras organizações preferem rodar seu VMS ligado a análise de vídeo dentro de sua infraestrutura própria conectada a um número de aplicações na nuvem para exportar e compartilhar vídeos. Essa arquitetura seria característica, por exemplo, de um departamento de polícia municipal, que precisa colaborar seguramente com evidências de vídeo entre delegacias e outras agências de policiamento. Nesse caso, eles podem incluir nuvens locais administradas pela organização maior.

Por tanto, estar online é mais importante do que se imagina e certamente, extremamente estratégico para as empresas que lidam com o departamento de segurança. Pois é através da nuvem, que as organizações vão ter disponibilidade, garantir acessos remotos sem limitações de posições geográficas e ainda por cima, poderão otimizar custos. Aproveitando melhor os recursos, inclusive preparar uma equipe específica para a segurança digital, com novas soluções e produtos diversificados.

Compartilhe esse conteúdo em suas redes sociais!