Descubra como ficar protegido de ataques Ransomware

Você sabe como se proteger de ataques ransomware? É essencial verificar se a sua empresa está protegida contra isso. O objetivo é não sofrer nenhum dano ou prejuízo no futuro. 

De acordo com a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados), ou seja, Lei 13.709 de 2018, é de extrema responsabilidade cuidar para que os dados que estão nos sistemas da sua instituição tenham preservação.  

Além disso, muitos aderiram ao trabalho remoto, então é fundamental saber quais são os riscos e como realizar o home office de maneira segura e eficaz.  

Pensando nisso, elaboramos este artigo para auxiliá-lo a descobrir como manter-se livre dos ransomwares. Para começar, vamos ver o que essa expressão quer dizer.  

O que é Ransomware? 

 

O nome ransomware é a junção da palavra inglesa ransom que significa resgate com o termo ware, que é a abreviação de software. 

Dessa forma, o termo refere-se a um software maligno que infecta rede de computadores e, a partir dele, criminosos exigem um valor de resgate para que o sistema e seus documentos sejam devolvidos. 

Grupos criminosos usam o ransomware para atacar empresas e obter lucros desonestos, podendo chegar a valores milionários.  

Esses indivíduos, geralmente, determinam que o pagamento seja feito com a moeda virtual bitcoin, com isso, torna-se impossível detectar suas origens e impedi-los de continuar atuando.  

Já que ele rouba os dados e bloqueia o acesso a arquivos sigilosos, muitos negócios acabam cedendo à pressão e pagando a quantia exigida pelos marginais.  

Só para exemplificar, foi isso o que aconteceu com a gigante de tecnologia Acer este ano. A companhia pagou US$ 50 milhões de dólares para conseguir ficar livre da ação dos bandidos.   

No entanto, esse tipo de ataque não é algo novo, o primeiro foi registrado em 1989 foram utilizados disquetes infectados que contaminaram computadores.  

Desde então, com o avanço da tecnologia e o amplo uso da internet em todos os setores, ele passou por melhorias e a cada dia surgem novas vítimas.   

Para conseguir se proteger, é essencial compreender o que é esse software malicioso. Por exemplo, será que ransomware e vírus são a mesma coisa? A resposta é não 

Vamos entender por que podemos responder assim e quais as diferenças entre eles.  

Diferença entre vírus e ransomware 

Constantemente as pessoas acreditam que qualquer software mal-intencionado que invadiu a sua máquina trata-se de um vírus. Mas isso nem sempre é verdade.

Em primeiro lugar, precisamos compreender que a expressão usada para referir-se aos softwares maliciosos chama-se malware.

Todo vírus é uma espécie de malware, mas nem todo malware pode ser caracterizado como vírus. 

De forma simples, pode-se dizer que um vírus é quando mesmo após ter infectado o dispositivo, o código maligno necessita da execução de um outro programa ou de alguma regra definida pelo seu desenvolvedor para que ele possa operar.

Por outro lado, o ransomware é autoexecutável. Sendo assim, após a infecção, ele já começa a atuar automaticamente. 

Já que a sua maneira de agir é diferente do vírus, ele é classificado como malware.

Existem diferentes ransomwares e cada um com as suas próprias características. Vamos conhecer alguns deles.

Quais são os tipos de Ransomware?

 

Diversas organizações ao redor do mundo têm se tornado vítimas de criminosos por meio dos ransomwares. 

Por exemplo, no ano de 2020 o número de ataques aumentou em 311% em comparação com 2019, segundo a fonte Olhar Digital.  

Desde pequenas até grandes empresas já foram atingidas, podemos citar a Kia Motors, Foxconn, entre outras. 

Entretanto, para efetuar essas invasões, os hackers utilizam vários tipos de ransomware, mas podemos destacar dois deles, que são muito comuns: 

  • Locker: bloqueiam o acesso ao computador ou outro equipamento infectado; 
  • Crypto: impedem o acesso aos dados armazenados no equipamento atingido por meio do uso de criptografia.  

Agora que já sabemos os modelos existentes, confira alguns dos principais ransomwares que foram utilizados nos últimos tempos: 

  • Locky: é capaz de criptografar os arquivos, geralmente, é adquirido por meio de e-mails; 
  • Ryuk: ele bloqueia a opção de Restauração do Sistema do Windows, somente com um backup é possível restaurar os arquivos criptografados; 
  • Troldesh: a sua contaminação aconteceu por meio de e-mails, ele atua como criptografador de dados;  
  • WannaCry: ele impossibilita o uso do computador, a sua disseminação ocorreu com a exploração de uma vulnerabilidade do Windows; 
  • Bad Rabbit:  o seu método é drive-by, é adquirido em algum site contaminado e quando clica para instalar algo é infectado.  

Para que você não caia em nenhuma armadilha dos hackers, vamos analisar como eles agem para escolher suas vítimas.  

Como funciona o ataque Ransomware? 

Um dos métodos preferidos dos criminosos é o phishing. Antes de mais nada, pode-se ilustrar isso com a situação em que um e-mail contém um malware em anexo ou fornece o link para um site malicioso.  

Além disso, também é comum que o usuário ao acessar um site, receba avisos de que seu sistema está infectado e deve instalar ou clicar em algo para corrigir o problema.  

Já que os hackers agem de formas sutis, é bom sempre ter um backup de seus dados para o caso de ser infectado.

Sob o mesmo ponto de vista, o ideal mesmo é não ser atingido por um ransomware, por isso, veja como manter-se seguro de tais ameaças.  

Como se proteger contra Ransomware? 

ransomware-proteja-seus-dados

Em primeiro lugar, é preciso conscientizar a todos os seus colaboradores sobre a importância de seguirem as medidas de prevenção.  

Com esse objetivo, ofereça treinamento constante para as suas equipes, a fim de que elas saibam reconhecer características suspeitas em e-mails e sites. 

Outra sugestão é utilizar serviços de e-mails que oferecem filtros de spyware e spam, como o Outlook ou Gmail. 

Mantenha sempre o seu sistema operacional, navegador e outros softwares atualizados. Essa prática tem como objetivo evitar ser exposto a alguma vulnerabilidade.  

Também é fundamental possuir um bom antivírus, que seja capaz de identificar alguns ransomwares e impedi-los de se infiltrar no seu computador.  

Por último, busque para a sua empresa uma solução de recuperação de dados, por exemplo, um backup em nuvem ou disaster recovery. 

Em resumo, siga as instruções que foram consideradas para ficar protegido, e além disso, para evitar qualquer tipo de problema com os ransomwares é muito importante otimizar o seu ambiente. Inclusive, nosso time de especialistas realizou um webinar sobre o tema, no qual você pode conferir diversas táticas para proteger os dados da sua empresa. Acesse o link e assista o webinar completo

No entanto, apesar de todos os cuidados, ainda há a possibilidade de o seu sistema vir a ser comprometido e ter uma forma de restabelecer os seus dados sem utilizar os dispositivos infectados pode livrá-lo de grandes prejuízos. 

 Se o seu empreendimento não pode parar as atividades, o Disaster Recovery pode ser a opção ideal, ele permite o restabelecimento das operações de T.I de seu negócio em um curto período de tempo em casos de ataques ransomwares.  

 

Gostaria de saber mais sobre o Disaster Recovery? A inovTI é especialista nesse serviço e oferecemos opções personalizadas para garantir a segurança e proteção da sua empresa. 

0 Compart.
Compartilhar
Compartilhar