O que não pode faltar no seu planejamento de TI para 2022?

Você sabe, ou tem alguma ideia, do que não pode faltar no seu planejamento de TI para 2022? São vários aspectos que devem ser levados em conta para fazer com que a sua empresa consiga se destacar perante as concorrentes.

Ingressar nas redes sociais, contar com uma plataforma de e-mail e até mesmo desenvolver e treinar um melhor relacionamento com os clientes.

Tudo isso deve estar dentro das suas estratégias primárias para garantir a boa visão sobre a sua empresa. E então, quer saber mais sobre? É só continuar conosco!

Como elaborar um planejamento de TI para 2022?

A resposta é simples: para ter resultados ainda mais eficazes, otimizados nos lucros e na satisfação dos clientes. Na sua organização para o ano de 2022, é necessário levar em conta a reputação da marca em redes sociais e até mesmo em sites online.

São vários os aspectos que devem ser levados em conta  para garantir que a sua marca se torne conhecida, tenha mais alcance e possa agregar mais valor aos seus produtos e serviços. 

Se planejar com antecedência faz com que a pessoa jurídica tenha uma noção de possíveis gastos futuros, o que pretende fazer e, os passos para que se concretizem os objetivos. 

Dessa forma, não existe o “desamparo”. Logo, todas as ações começam a ser pensadas para seguir um cronograma eficaz, limpo e organizado. Entre as vantagens, é possível encontrar: 

  • redução de custos; 
  • praticidade; 
  • organização;
  • competitividade no mercado. 

Mas não é só isso, ainda existem 4 pontos que devem fazer parte do seu planejamento de TI para 2022. Confira!

1. Segurança

O Brasil está entre os 10 países com mais ataques ransomware do mundo. E, esse não deveria ser um problema enfrentado por empresas. 

Por isso, é mais que necessário que a sua marca invista em profissionais que garantam a segurança do banco de dados dos clientes e, assim sendo, não sofra com as penalidades impostas pela Lei de Proteção de Dados que vem sendo cada vez mais exigida pelo Governo Federal.

O cliente precisa sentir que os dados dele estão seguros, seja em relação ao pagamento dos serviços e até mesmo no caso do seu cadastro.

No cadastro, é normal que existam dados relevantes como CPF (Cadastro de Pessoa Física) e número de telefone, por exemplo. É comum, ainda, que hackers vendam essas informações com o objetivo de receber altas quantias em dinheiro.

Grandes portais já sofrem com os ataques, inclusive o Serasa, que foi acusado de “vazar” milhões de CPFs. A reputação do caso foi negativa e muitas pessoas ficaram com medo até mesmo de abrir uma conta e informar os dados no portal.

2. Análise de investimentos

Com a alta da inflação brasileira, com previsão para terminar o ano de 2021 a mais de 9%, é necessário que o dinheiro de caixa não fique parado. Caso contrário, os valores recebidos ficarão desvalorizados.

Uma tentativa de impedir isso e, ao mesmo tempo, impedir que o valor fique bloqueado por anos, como acontece com os investimentos de LCI, LCA, CRI e CRA, é aplicar o dinheiro de caixa em CDBs com rendimento diário e resgate imediato. 

Ou seja, você faz a solicitação e o dinheiro é liberado na hora. Eles costumam render de acordo com o CDI, que varia com a Selic. O rendimento da maioria deste tipo de aplicação é de 100%. 

Caso não precise do dinheiro como reserva de emergência e resgate imediato e tem o objetivo de investir a longo prazo, pode aplicar em LCI ou LCA. Alguns chegam a render mais de 13% ao ano quando acompanham o IPCA. Já para os investidores mais robustos e moderados, podem aplicar o valor em fundos de mercado. 

Ter uma reserva de emergência junto a investimentos futuros faz com que a sua marca garanta estabilidade em momentos de crise. Portanto, nada de tirar todo o caixa!

3. Previsão de gastos

Por fim, e não menos importante, é necessário que a empresa de tecnologia tenha em mente o quanto deseja gastar com cada atividade de expansão no ano de atuação. Por exemplo:

  • quais os valores destinados para construções de novos escritórios ou compras de produtos;
  • quanto devem aplicar em marketing;
  • quais os tipos de produtos que devem vender e que trazem mais resultados. 

Em resumo, para criar esse cronograma estratégico, a marca pode levar em conta as experiências de anos anteriores, até mesmo no momento de escolher os produtos. 

Por exemplo, se em 2021 venderem mais placas de vídeo que processadores ou outros itens devido ao aumento de mineração de criptomoedas, podem colocar mais desses produtos no estoque da marca e ampliar os investimentos neste tipo de hardware

Acompanhar o movimento do mercado é essencial para obter bons lucros. Além disso, também pode comparar as suas estratégias com os principais concorrentes para saber o que estão fazendo para trazer mais retorno. 

4. Integração de toda a empresa

A integração da empresa é essencial para quem está pensando em economizar visto que todas as partes acabam trabalhando em conjunto. Logo, há a melhora da comunicação e otimização do tempo entre as “ilhas/ grupos” de funcionários. 

A evolução da cloud computing

A computação em nuvem vem se tornando cada vez mais essencial para guardar os dados de clientes, otimizar o tempo de busca do banco de dados e vários outros aspectos. Sem contar que a empresa de TI não precisa gastar com o hardware porque paga para que especialistas façam isso e tenham sempre tecnologia de ponta. 

A chegada do 5G no Brasil

No ano de 2021, com a chegada do 5G e o leilão para determinar quais são as empresas que devem ficar com ele, promete grandes mudanças para as funcionalidades no ano de 2022. O carregamento de informações será mais rápido, haverá mais otimização para renderização e outras funcionalidades. 

O 5G é a nova tecnologia, e de ponta, uma das mais avançadas esperadas no Brasil para os próximos anos. Por isso, é essencial que a sua empresa invista nela. 

Quais serão os desafios para o setor de TI em 2022?

O setor de TI terá uma série de desafios para o ano de 2022. No entanto, como dito anteriormente, um dos mais fortes deles será de conseguir acompanhar as rápidas mudanças do mercado de tecnologia, como a chegada do 5G e a evolução da tecnologia de banco de dados em nuvem. Tudo isso deve estar incluso no seu planejamento de TI para 2022. 

Tudo isso foi criado para deixar os processos mais rápidos, otimizados e, querendo ou não, mais baratos: é muito mais econômico investir em tecnologia na nuvem do que em hardware para guardar informações. Com as rápidas mudanças do setor, a tendência é que o hardware fique ultrapassado muito rápido e irá exigir manutenções e novas compras constantemente. 

E então, tem mais alguma dúvida sobre o que levar em conta no planejamento de TI para 2022? Neste artigo, tentamos abordar os pontos principais. Comente aqui com a gente quais são as suas dicas para ajudar outros leitores na organização!

Cloud Computing

 

0 Compart.
Compartilhar
Compartilhar