Por que optar por Object Storage e quais seus principais benefícios

O número de dispositivos conectados à internet aumenta a cada dia. Não só os aparelhos tradicionais, como tablets, smartphones e computadores, mas também a IoT (Internet das Coisas) vem conquistando seu espaço. Com tantos dados novos sendo criados, o Object Storage surge como ferramenta ideal para armazená-los com eficiência.

Isso porque esses arquivos não são estruturados. Tratam-se de vídeos, comentários em redes sociais, álbuns de fotos, arquivos MP3, e-mails e informações comportamentais de usuários. São elementos impossíveis de organizar em planilhas, ao contrário de uma lista telefônica, por exemplo.

O Levantamento da IDC mostra que até 2025, 80% dos dados no mundo inteiro serão não estruturados. As empresas e estrategistas se preocupam bastante com essas informações porque elas indicam, entre muitas coisas, tendências de mercado e problemas existentes em um plano de negócios.

Desse modo, esses dados importantes necessitam de acesso otimizado — rápido, fácil e acessível — e uma segurança impecável contra perda ou roubo. Então, seu armazenamento precisa ter essa eficiência, o que faz a arquitetura de Object Storage ideal para trabalhar com informações não estruturadas. Para saber mais sobre esse serviço, continue a leitura!

O que envolve o Object Storage?

Uma companhia deve dar seus próximos passos com cautela, observando o mercado, a movimentação dos concorrentes, as ações do público-alvo e dos clientes. Apenas guardar essas informações não é suficiente. É preciso saber usá-las para obter os melhores insights.

Então, ao escolher uma forma de guardar tais itens, deve-se levar em consideração a rapidez de pesquisa e resultado perante o alto volume de dados que entram diariamente. A arquitetura de armazenamento mais eficiente para lidar com Big Data, que gera arquivos não estruturados, é o Object Storage.

No entanto, para que você descubra se ele é ideal para sua estratégia, precisa saber um pouco como funcionam os outros dois métodos: File Storage e Block Storage. A verdade é que não existe melhor nem pior. Simplesmente, uma opção terá mais indicação do que a outra, de acordo com a maneira que sua empresa trabalha com os dados.

File Storage  (armazenamento baseado em arquivos)

Talvez a diferença mais notável entre os três métodos seja quem acessa os dados. No caso do armazenamento baseado em arquivos, eles se encontram localmente, ou seja, no próprio dispositivo ou em uma rede interna. Assim, tanto a armazenagem como o acesso aos itens devem ser feitos pelo próprio usuário.

Block Storage (armazenamento baseado em blocos) 

Os arquivos são escritos em blocos alocados no SAN, que é uma rede aérea de armazenamento que se comunica com servidores e storages. Esses storages são unidades com pouco poder de processamento, mas alta capacidade de armazenagem. Funcionam perfeitamente junto a servidores, que são o contrário (pouco armazenamento e alto processamento).

Como funciona o Object Storage?

O Object Storage é uma arquitetura de armazenamento de dados que consegue lidar com uma grande quantidade de informações não estruturadas. É fundamental para trabalhar com Big Data, pois os dados são encriptados e, em alguns casos, distribuídos por diferentes regiões geográficas.

Ele recebe esse nome porque guarda os arquivos com metadados únicos. Esse conjunto se chama objeto. Os objetos são armazenados como “pacotes” individuais e exclusivos, devidamente identificados pelos metadados.

Então, imagine uma montadora de automóveis que precisa organizar a produção da linha de montagem de uma das suas fábricas. Os arquivos que reúnem “informações estruturais” dos veículos são os dados, enquanto os metadados são informações relacionadas — modelo, categoria, número de chassi, ano de fabricação, áreas de comercialização etc.

Para acessar essas informações, basta que os aplicativos façam chamadas de API RESTfull baseadas em http.

Estrutura 

Cada pacote (dados + metadados) fica guardado em uma estrutura plana. Trata-se de um pool de armazenamento,  no qual todos os objetos são distribuídos. Nessa forma de organização dos arquivos, não há hierarquias ou blocos, como no File e Block Storage, o que possibilita o acesso rápido às informações.

Os dados não estruturados, como dito, são gerados em grande quantidade diariamente. Isso significa que a expansão do armazenamento deve ser algo simples para que seja escalável. O nível de escalabilidade de um Object Storage é alto porque basta adicionar mais unidades de armazenamento nos pools para expandir sua capacidade.

Quais os benefícios do Object Storage?

Há muitos motivos para considerar o Object Storage para o armazenamento de dados, especialmente se a natureza deles girar em torno de estratégias a serem consideradas por algum setor ligado ao crescimento da empresa. Acompanhe!

Infraestrutura

Múltiplas empresas podem compartilhar do mesmo repositório de armazenamento, pois há companhias que vendem armazenamento como serviço. Como cada um tem acesso a partes separadas, guardar arquivos em nuvem se torna uma solução de baixo custo.

Do lado de quem contrata o serviço, há uma redução da infraestrutura do local sem prejudicar a eficiência do acesso aos dados.

Pesquisa e localização rápida 

Pelo fato dos objetos terem inúmeras informações de metadados, inclusive personalizadas, é possível categorizá-los de acordo com as necessidades da empresa. Como a procura não precisa passar por níveis hierárquicos — pois os dados ficam em um pool de armazenamento — a localização dos arquivos acontece forma rápida e fácil.

Eficiência com dados não estruturados 

Por utilizarem metadados, eles são fundamentais no armazenamento de dados não estruturados, facilitando o trabalho da equipe que lida com Big Data. Assim, a empresa guarda arquivos que não são acessados frequentemente, mas que devem ser retidos por longos períodos.

Flexibilidade 

Um aplicativo só precisa fazer uma chamada de API RESTfull para acessar os arquivos, independentemente do local de onde ela é feita. Isso facilita a unidade da equipe, especialmente quando a empresa possui sedes instaladas em locais geograficamente distantes.

Escalabilidade 

No armazenamento por blocos há um limite de espaço que você pode utilizar. Assim, trabalhar com Object Storage significa armazenar volume na casa dos petabytes facilmente, pois basta adicionar armazenamento ao pool quando necessário.

Segurança 

Dados não estruturados contêm informações importantes não só a respeito do público-alvo de uma empresa, mas dos perfis de seus clientes. Então, ao disponibilizar esses dados na nuvem, deve-se levar em consideração o nível de segurança exigido.

Existe, ainda, a possibilidade de trabalhar a criptografia aplicada aos arquivos que usam Object Storage como método de armazenamento.

Portanto, sua empresa pode usar o Object Storage para backup, aplicativos móveis e da web, e como um local seguro para armazenar dados importantes. O destaque fica para a redução da infraestrutura local da companhia sem perder a segurança das informações, garantida pela criptografia de um serviço de computação em nuvem.

Então, se você percebeu que o armazenamento baseado em objetos é fundamental para o que precisa, aproveite para conhecer a solução da inovTI, voltada especificamente ao Object Storage!


Cloud Computing

0 Compart.
Compartilhar
Compartilhar