loader image

O que é e como elaborar o Relatório de Impacto à Proteção de Dados Pessoais

27 mar 2023 | Dicas de TI, Institucional, Proteção de Dados

O Relatório de Impacto à Proteção de Dados Pessoais é um documento oficial obrigatório nos termos da LGPD. É exigido que empresas e organizações desenvolvam e apliquem essas práticas adequadas de acordo com o seu tamanho e tipo de atividade. O Relatório de Impacto à Proteção de Dados Pessoais tem a finalidade de estabelecer boas práticas, aumentar a transparência e garantir a conformidade com a LGPD. Leia esse artigo até o final e saiba mais.

O QUE É?

A Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD) entrou em vigor no Brasil, no ano de 2020, trazendo uma série de mudanças na forma como os dados pessoais são tratados e armazenados. Com esse objetivo, a lei exige que as empresas façam um Relatório de Impacto à Proteção de Dados Pessoais (RIPP). O RIPP é o documento realizado pela empresa, em que é necessário descrever detalhadamente o cumprimento dos princípios da LEI. Assim, o documento é importante pois serve como comprovação de que a empresa está cumprindo os requisitos de proteção de dados estabelecidos pela legislação.

A preparação do RIPP exige uma série de passos para garantir a conformidade com as regras da LGPD:

  • Levantamento das informações
  • Análise e avaliação dos dados
  • Estruturação de procedimentos
  • Criação de canais de segurança

Além disso, também é necessário atualizar periodicamente o RIPP para garantir que todos os seus dados estejam sendo tratados, armazenados e protegidos de forma segura. Importante para aumentar a segurança da sua empresa.

É preciso ter em mente que as informações confidenciais da sua organização estão sendo compartilhadas e processadas pelos seus funcionários, clientes e parceiros. Assim, o RIPP garante que a sua empresa está tomando as medidas necessárias para garantir a segurança dos dados e proteção dos direitos dos seus usuários.

O RIPP deve conter as informações necessárias para descrever o tratamento dos dados pessoais da empresa, incluindo as políticas e processos em relação à coleta, armazenamento, uso e compartilhamento dos dados pessoais. Além disso, também deve relatar os procedimentos de segurança dos dados adotados pela empresa para prevenir vazamentos e assegurar a proteção de acordo com a LGPD.

Portanto, o Relatório de Impacto à Proteção de Dados Pessoais é essencial para que as empresas possam cumprir as exigências estabelecidas pela Lei, garantindo assim a segurança e proteção de dados pessoais dentro da organização. Ele é um documento importante para comprovar que a sua empresa está seguindo os preceitos da LGPD e garantindo assim a segurança e confidencialidade dos dados.

COMO ELABORAR?

Elaborar o Relatório de Impacto à Proteção de Dados Pessoais (LGPD) está se tornando cada vez mais importante para empresas de todos os tamanhos que lidam com dados pessoais de seus clientes. É essencial ter o devido cuidado com a proteção dos dados pessoais, não apenas para cumprir com as regras mas também para assegurar que a sua empresa tem um sistema de segurança adequado para proteger todos os dados sigilosos. Neste artigo, vamos mostrar como você pode elaborar o seu relato de impacto de forma que seja eficiente e segura para os seus clientes.

O Relatório deve ser elaborado por uma equipe interna que conheça bem a empresa e os processos de tratamento de dados.

O primeiro passo para preparar o seu relatório é identificar os dados pessoais coletados e armazenados pela sua empresa. Estes dados podem variar desde nomes e endereços, até números de cartão de crédito. Em seguida, é necessário avaliar o nível de risco associado à coleta e processamento destes dados, com base no Regulamento Geral de Proteção de Dados (RGPD) da Europa. Uma análise de risco detalhada pode ajudar a determinar o nível de segurança necessário.

Após identificar os dados e riscos potenciais, é importante implementar as medidas de segurança apropriadas. Estas incluem medidas técnicas, como criptografia de dados e autenticação de usuários, bem como medidas organizacionais, como a designação de um responsável pela proteção de dados. Por último, é necessário elaborar um relatório de impacto à segurança dos dados pessoais que inclua as informações relevantes sobre o processamento de dados. Esse relatório deve ser revisado periodicamente para garantir que a empresa continue a cumprir com os requisitos da LGPD.

Esperamos que este artigo tenha ajudado a compreender melhor como preparar e implementar adequadamente o seu Relatório de Impacto à Proteção de Dados Pessoais. Trata-se de um importante engajamento em prol da segurança de seus dados pessoais. Tenha em mente que o cumprimento da LGPD é fundamental para evitar possíveis problemas legais que podem surgir das não conformidades. Com um sistema de segurança robusto e um Relatório de Impacto à Proteção de Dados Pessoais bem elaborado, você pode ter certeza de que a sua empresa está bem protegida.

CONCLUSÃO

O Relatório de Impacto à Proteção de Dados Pessoais é um documento oficial obrigatório nos termos da LGPD. É exigido que empresas e organizações desenvolvam e apliquem essas práticas adequadas de acordo com o seu tamanho e tipo de atividade. O Relatório de Impacto à Proteção de Dados Pessoais tem a finalidade de estabelecer boas práticas, aumentar a transparência e garantir a conformidade com a LGPD.

A elaboração de um RIPP é um processo complexo, mas é indispensável para garantir a segurança de dados e cumprir com as leis de proteção de dados. Se você tem dúvidas sobre como elaborar seu Relatório, entre em contato com um dos nossos especialistas para obter ajuda. Prestaremos todo o suporte necessário para garantir que os dados pessoais estejam protegidos da melhor forma possível.

 

Mantenha-se atualizado!

Siga-nos nas redes sociais! ⬇️
LINKEDIN
INSTAGRAM
FACEBOOK

Para mais notícias sobre cibersegurança e novidades, assine nossa newsletter! Ou acesse outros artigos que temos no site!

Vamos deixar aqui, duas recomendações, confira agora:

 

  1. Sua empresa está preparada para a LGPD?
  2. 5 dicas básicas para proteção de dados do seu projeto
  3. Proteção de Dados