loader image

Por que atualmente as ameaças de cibersegurança causam mais danos

11 nov 2021 | News

Como enfrentar as ameaças de cibersegurança? Afinal, essa é uma realidade da época atual e que vem provocando danos a muitos empreendimentos.  

De acordo com uma pesquisa feita pelo grupo Mz,  no primeiro semestre de 2021, houve um aumento de 220% nos casos de ataques cibernéticos a empresas brasileiras em comparação com o mesmo período de 2020. 

Assim, fica claro que o número de vítimas de cibercriminosos não para de crescer. No entanto, quais são os principais tipos de ameaças virtuais? Por que um ciberataque causa mais prejuízos atualmente? Confira as respostas neste artigo! 

Quais são as principais ameaças de cibersegurança?

Com a evolução da tecnologia, os métodos de ataques virtuais também mudaram e a cada dia são aperfeiçoados. Por isso, é importante ficar atento ao novo cenário e suas ameaças. 

Pensando nisso, conheça 5 tipos de riscos a cibersegurança comuns na atualidade:

  • – Malware: softwares malignos que infectam computadores ou sistemas, após a infecção são autoexecutáveis e causam danos que atrapalham ou impedem o funcionamento da máquina;
  • Vírus: trata-se de um código malicioso que necessita de uma ação do usuário para iniciar suas atividades e prejudicar o desempenho do dispositivo;
  • – Ransomware: é um tipo específico de ataque cibernético, quando criminosos usam um malware para infecção de um software ou máquinas empresariais e pedem um valor financeiro como forma de resgate para liberação do sistema;
  • – Engenharia Social: ocorre quando os cibercriminosos se aproveitam das emoções da vítima para conseguir roubar informações sigilosas. Por exemplo, muitos usam  o phishing que, em geral, são e-mails falsos que levam o indivíduo a executar uma ação, como clicar em um link contaminado;
  • – Fraude de Identidade: os cibercriminosos roubam identidades de outras pessoas e tentam se passar por elas para efetuar transações financeiras ou ter acesso a áreas e documentos restritos. 

No entanto, quais são os prejuízos causados por esses ataques? Será que são mais perigosos nos dias de hoje? Veja as respostas no próximo tópico. 

Por que as ameaças de cibersegurança provocam mais prejuízo hoje em dia? 


O mundo está cada vez mais conectado. Assim, os ataques cibernéticos estão ocorrendo com mais frequência, já que as empresas para não ficarem desatualizadas utilizam mais a tecnologia digital do que nas décadas passadas. 

Porém, migrar para o ambiente online também traz desafios e nem sempre as organizações estão prontas para lidar com eles. Em resultado disso, acabam sendo vítimas de cibercriminosos e perdendo dados valiosos e enormes quantias financeiras. 

Veja quais são 3 razões que tornam a ameaça da cibersegurança mais perigosa para as empresas de hoje. 

1- Sistemas desatualizados

Segundo os dados disponibilizados pela Statista, uma das principais causas para vazamento de dados são os ataques hackers. No ano de 2019, eles foram responsáveis por 45% dos casos no mundo. 

Esse tipo de ameaça a cibersegurança é quando um hacker procura uma falha nos softwares utilizados pela empresa ou no conjunto de hardwares. Assim, quando há uma brecha disponível, os cibercriminosos aproveitam para entrar em ação e causar danos.

Nesse sentido, as empresas distribuidoras de softwares estão constantemente procurando por defeitos em seus programas. Em certas situações, até mesmo contratam pessoas para descobrir falhas, os chamados “hackers do bem”. 

Desse modo, quando encontram um problema, é possível elaborar estratégias que melhoram a segurança e corrijam o defeito. Para os clientes, isso é disponibilizado por meio de atualizações. 

No entanto, vale ressaltar que o avanço da tecnologia é tão rápido que as atualizações se tornam constantes. Em certos casos, a empresa pode demorar um pouco para atualizar os sistemas e, nesse período, se tornar uma vítima. Além disso, pode acontecer do dispositivo não suportar a nova versão do software

2- Gerenciamento Inadequado

Atualmente, muitas empresas optam por implementar soluções de computação em nuvem, o que pode trazer inúmeros benefícios para o negócio, por exemplo, a escalabilidade. 

No entanto, ao adotar essas estratégias é essencial garantir que haja o gerenciamento adequado dos serviços de cloud computing

De acordo com a pesquisa da Statista, entre as maiores dificuldades que as empresas têm em relação à adoção da nuvem estão a governança e falta de experiência da equipe. 

É verdade que a computação em nuvem é considerada um meio seguro de armazenamento de dados, mas ainda assim, é extremamente importante elaborar estratégias para garantir o bom uso dos recursos disponíveis em cloud. 

Afinal, é preciso lembrar que toda forma de tecnologia é uma ferramenta que facilita uma tarefa, ajudando alcançar um objetivo. No entanto, para ser realmente bem-sucedido é necessário que haja alguém que escolha o equipamento certo e saiba como manusear. 

Só para ilustrar, imagine que uma pessoa deseja pregar um quadro numa parede. Então, para isso, decide usar uma chave de fenda. Bem, o resultado não é bom, porque, nesse caso, o ideal seria utilizar um martelo. 

Diante disso, será que faz sentido dizer que a chave de fenda é uma ferramenta ruim? Com certeza não! Existem situações em que ela será a melhor opção. 

De forma similar, a tecnologia em nuvem possui vários recursos, que podem ser muito úteis, mas apenas se forem utilizados da maneira e no momento apropriados. 

Caso contrário, existe a probabilidade de se expor a circunstâncias perigosas colocando em risco a cibersegurança e podendo resultar em grandes danos, como vazamento de dados sensíveis e sigilosos. 

3- Mudanças repentinas no cenário mundial

Outro fator que aumentou as ameaças à cibersegurança foi o início da pandemia da Covid-19. Nesse período, para cumprir o isolamento social, as empresas precisaram se adaptar rapidamente a um novo sistema de trabalho.  

De acordo com o relatório “Phishing Insights 2021”, desde o início da pandemia 70% das organizações entrevistadas relataram aumento de ataques phishing. Além disso, diversos setores experimentaram grande crescimento de casos, inclusive os sistemas de governos com crescimento de 77% e da saúde com 73%. 

Durante o período da pandemia, muitas empresas da área hospitalar ganharam mais destaque no mercado e isso fez com que se tornassem mais atraentes para cibercriminosos. 

Vale ressaltar também que tanto negócios grandes como pequenos precisaram investir no home office e isso aumentou o desafio quanto à segurança, já que muitas equipes não estavam preparadas para essa mudança.

Em resumo, para se manter competitivo no mercado é preciso investir em tecnologias digitais, como a computação em nuvem. No entanto, também é necessário elaborar estratégias que garantam a cibersegurança. Por isso, é preciso manter os softwares atualizados e ter uma boa gestão de nuvem. 

Pensando nisso, que tal conhecer as soluções em cloud da inovTI? Conte com o auxílio de especialistas em Cloud e Datacenter durante a sua jornada na nuvem!