loader image

5 dicas básicas para proteção de dados do seu projeto

27 out 2022 | News, Proteção de Dados, Soluções

Sendo uma tendência que veio realmente para ficar e que deve se expandir fortemente ano após ano a nível nacional e global, o Cloud Computing é estratégico e deve ser utilizado nas organizações em todo o mundo. Mas um ponto que precisa ser levado em consideração é a segurança dos dados e que muitas empresas ainda precisam aprimorar tanto em processos como também em soluções específicas, para garantir a cibersegurança e promover um ambiente seguro tanto para as organizações como também para os usuários!

De acordo com a pesquisa da State of the Cloud , 95% das organizações adotaram algum tipo de nuvem. Sendo que para a Gartner a segurança cibernética, estratégias de aplicativos e integração em nuvem são as principais prioridades de tecnologia para empresas de médio porte e o estudo da Frost & Sullivan, diz que 72% das empresas se preocupam com a proteção de dados ao adotarem ferramentas em nuvem.

Ou seja, estar na nuvem e desenvolver projetos não basta, é necessário também garantir a segurança deles. Por isso, separamos aqui, 5 dicas básicas para seguir, conheça-as agora!

CONFIRA AGORA AS 5 DICAS DE SEGURANÇA

Descubra como proteger – ainda mais – os dados em nuvem:

1- Através das Políticas de Segurança, isto é, elas devem ser revisadas periodicamente, sendo uma questão prioritária. De acordo com a definição da norma ISO 27001, que estabelece as diretrizes gerais para a gestão da informação de uma empresa, a segurança da informação nada mais é que o ato de proteger os dados da empresa (especialmente aqueles confidenciais) contra diversos tipos de ameaças e riscos como: espionagens, sabotagens, incidentes com vírus ou códigos maliciosos e até acidentes, como incêndio e inundação. Recomendamos que tudo seja revisado, do cadastro de usuários às permissões, para garantir que esteja em conformidade e que não ocorra o vazamento de informações.

Lembre-se: os princípios básicos das políticas de segurança são: confidencialidade, integridade e disponibilidade. Cada um deles diz respeito a uma postura diferente na organização, que exige ações pontuais e periódicas, para que se mantenham sempre presentes. Para entender melhor, abaixo vamos explicar a fundo cada um deles, confira:

  • Confidencialidade: é a garantia de que a informação, documento, sistema e entre outros, seja acessado apenas por pessoas autorizadas; Se algum desses documentos forem confidenciais e acessado por quem não tem autorização, isso gera compliance, ou seja, uma quebra da confidencialidade. Se isso acontecer, deverá ser avaliado e dependendo do teor das informações, pode gerar danos inestimáveis para as empresas. Por isso, é tão importante ser sigiloso e garantir a segurança dos dados.
  • Integridade: parte do princípio de preservar a originalidade e confiabilidade dos dados. Garantir a integridade é adotar precauções que são necessárias para que as informações fiquem intactas. Mantendo sua legitimidade e consistência.
  • Disponibilidade: está relacionado a garantia de acesso aos dados, sendo que no contexto corporativo, a disponibilidade das informações é extrema importante, tendo em vista a importância do acesso aos dados e sistemas.

2- Garanta a governança através da definição dos níveis de acesso para cada usuário, sendo parte essencial para garantir a segurança. Normalmente as aplicações inseguras têm acessos de pessoas não autorizadas pelas áreas de TI e Segurança. O ideal, é que cada pessoa seja um usuário com permissões de acesso à nuvem, podendo gerenciar os níveis e inclusive por arquivo.

3- Os backups são indispensáveis e devem ser automatizados. A ideia é garantir a integridade dos dados. O que recomendamos é que rotinas de Backups sejam criadas e testadas – não adianta criar uma rotina e não garantir que esteja funcionando corretamente – atentando especialmente a arquivos como planilhas e dados financeiros.

Lembre-se: sua integração e automação proporcionam uma facilidade de uso incomparável — reduzindo a complexidade enquanto aumenta a produtividade e diminui os custos operacionais.

4- Garanta a criptografia dos dados, é fundamental para ser utilizada em trânsito (in transit) e em repouso (at rest) em discos e bancos de dados. Já que ela atua contra vazamento, acesso não autorizado e contra roubo de informação. Recomendamos que habilite o quanto antes e torne obrigatória!

5- Trabalhe com uma empresa parceira para ser aliado na estratégia da cibersegurança do seu negócio. Aconselhamos isso, porque de fato, pode ser extremamente estratégico ter profissionais focados apenas na segurança, os quais podem aumentar a capacidade de proteção, uma vez que terão foco total nela. Além disso, utilizar a mais alta tecnologia, como nuvem híbrida, Inteligência Artificial (AI) e entre outros, pode ajudar a ultrapassar barreiras, reduzindo tempo de identificação de possíveis ataques e até mesmo, tendo uma resposta imediata para eles. A questão aqui é utilizar da melhor forma possível, o que tem disponível no mercado e ser assertivo com relação a não violação das informações.

QUAIS O BENEFÍCIOS EM PROTEGER A SUA EMPRESA?

As empresas, diariamente, trabalham com informações, que muitas vezes são sensíveis ou estratégicas. Por isso, sem dúvida nenhuma, o bem mais precioso das organizações são os dados. Sabemos que protegê-los pode ser um desafio, entretanto ao se trabalhar com ações mencionadas acima, certamente ocorrerá uma redução desses problemas!

Sendo assim, proteger os dados e garantir a segurança deles, nunca foi tão importante. Isso porque o Brasil está com crescimento acelerado nos ataques de hackers e aumentando significativamente os prejuízos relacionados a eles. O que segundo pesquisa realizada recentemente a pedido da IBM – e que vamos falar mais especificamente sobre ele no próximos artigo em 28 de Outubro-, diz que a violação de dados no Brasil, tem a taxa de crescimento mais rápida em relação ao último ano (2021), ficando em 16º na lista, um aumento de 27,8% de USD 1,08 milhões para US$ 1,38 milhões. E a nível Global, o prejuízo ultrapassa a casa dos
US$ 4,35 milhões em 2022, atingindo um recorde histórico. Este valor representa +2,6% de custo, em comparação com o mesmo período do ano passado (2021), quando o custo médio de uma violação foi US$ 4,24 milhões.

Precisamos abrir os olhos para esses números e garantir que sejam utilizadas soluções tecnológicas para obter a integridade dos dados e consequentemente, redução dos prejuízos.

Compartilhe esse conteúdo em suas redes sociais!